segunda-feira, setembro 25, 2006

Irmão da Solidão

Eu sou irmão da solidão.

Passou o tempo da guerra,
o tempo da afirmação.
Agora, que importa
se os outros vivem felizes
ou se desesperam.
Eu sou irmão da solidão
e com ela mantenho incestuosa relação.

Amo toda a gente
ternamente
(pelo menos neste momento)
mas mesmo que partilhe esse amor,
mesmo que fale e beije
e te deseje
sinto-me irmão da solidão.

Deixo-me vogar lentamente...
a mente
que se perca nos labirintos do pensamento
e da razão.
O corpo apenas pede divertimento sensorial
e esse, posso disfarçá-lo na aurora boreal
contida num qualquer copo de cerveja.

Eu sou irmão da solidão
que interessa a tua opinião.

Adolfo Luxúria Canibal, 1982
(Música de Au Au Feio Mau)
Nota: não está conforme o original, já que sou incpaz de colocar espaços em branco antes do início de certos versos!

0 Comments:

Enviar um comentário

backlinks:

Criar uma hiperligação

<< Home