quarta-feira, julho 04, 2007

O meu não às Juventudes Partidárias

Imagem do site da JSD

Finalmente vou fundamentar a minha posição de princípio de recusar a existência de uma juventude partidária. O melhor paralelismo que se pode fazer é com o Ministério da Juventude. Todos os Governos tem tido este ministério, mas alguém se lembra de alguma medida, por mais insignificante que tenha sido, que tenha saído desta pasta!?

Na realidade o Ministério da Juventude não serve para nada porque os assuntos relevantes para os jovens são tutelados por outros Ministérios (emprego, finanças, economia, educação, ...). Da mesma forma as Jotas podem andar a palrar à vontade que o Partido dos Graúdos é que define a política... porque não há política de jovens (ver parágrafo abaixo). Para mais, como as Jotas são organizações autónomas, definem a sua política mas não directamente a política do Partido dos Graúdos. Eu defendo que todos, independentemente da sua idade ou qualquer outro factor, devem ter o mesmo direito de participação e definição de políticas do partido como um todo.

Outra questão importante é que não há assuntos exclusivos dos jovens! Nenhuma matéria é estanque para jovens. Por exemplo a educação não diz apenas respeito aos jovens, há toda uma comunidade docente, não docente e civil para além da estudantil.

A moda porém é as Jotas pegarem nas questões ditas fraturantes: casamento homossexual, legalização das drogas leves, etc.. Ora, isto nunca irá a lado nenhum e não é pretendido que vá, alguém se lembra de um deputado Jota ter votado de forma diferente que a direcção do partido? Eu entendo que uma posição política deve ser consequente e não apenas eleitoralista. Esta prática corresponde a ocupar um nicho de eleitoral importante, ganhar os votos de jovens que defendem estas questões. Lembro-me que Sérgio Sousa Pinto há já mais de 10 anos defendia estas coisas enquanto líder da JS, alguém o ouviu falar mais disto a partir dos 31 anos?

Etiquetas: ,

4 Comments:

Blogger José Manuel Dias said...

Uma abordagem interessante.
Cumps

quarta-feira, julho 04, 2007 11:09:00 da tarde  
Blogger a formiga said...

Nelson,

Penso que estás a misturar juventude partidária (organizações de jovens dentro dos partidos) com Ministérios governamentais, uma coisa não têm nada a haver com outra. Quanto às juventudes partidárias, existe uma razão, pois são jovens que comungam de um ideal com os restantes militantes desse partido, mas que atendendo à sua idade têm gostos diversificados, em harmonia com as suas idades, deste modo têm formasdiferentes de contribuir para esses mesmos ideais.

segunda-feira, julho 09, 2007 12:38:00 da manhã  
Blogger a formiga said...

Só devemos formular opiniões quando estamos informados, o que não conseguimos através dos meios de comunicação social, que estão institucionalizados.
Uma das muitas armas que são usadas para manter o povo na ignorância é a desinformação; ignorância essa que fere, todos os dias, os nossos direitos.
Quando estamos informados, estamos em condições de defender causas, quer no nosso local de trabalho, nos transportes, junto dos amigos, etc...
Fica aqui o meu convite, para visitares http://tirem-as-maos-da-venezuela.blogspot.com, e desta forma seres mais um a defender uma causa com valores.

segunda-feira, julho 09, 2007 12:43:00 da manhã  
Blogger Nelson Peralta said...

Não confundi jotas com Ministérios, apenas fiz um paralelismo para demonstrar que as jotas não tem qualquer poder decisório dentro do partido nas questões importantes para os jovens; e também para demonstrar que não há assuntos exclusivos de jovens.

segunda-feira, julho 09, 2007 10:17:00 da manhã  

Enviar um comentário

backlinks:

Criar uma hiperligação

<< Home