domingo, julho 06, 2008

A queca enquanto desígnio nacional, ou como a economia tem sempre razão

«Sede, pois, fecundos e multiplicai-vos, e espalhai-vos sobre a terra abundantemente."»- Livro dos Génesis
Sobre a questão da discriminação propalada por MFL, leiam o comunicado da ILGA que diz tudo.

Fascinam-me os políticos que consideram que o dever patriótico da malta é procriar à fartazana! A economia está em colapso, o desemprego a subir, o custo de vida a aumentar, o que fazer? Procriar! A economia tem sempre razão! Somos nós que a temos que a alimentar e não o inverso! Alterar a economia é impensável, a vida em sociedade é que se tem que adaptar ao regime económico vigente!

Já estou a ver o slogan de campanha do PSD: Procriar Todo o Dia, Ajuda a Economia.

Etiquetas: ,

8 Comments:

Anonymous Mystic's said...

Contra os canhões, procriar, procriar!!!!

segunda-feira, julho 07, 2008 10:25:00 da manhã  
Blogger rosa que fuma said...

não era os bretões afinal? Em todas as versões sempre faz mais sentido que.....os canhões.

segunda-feira, julho 07, 2008 5:12:00 da tarde  
Blogger Nelson Peralta said...

Para não chatear os ingleses, passou a bretões em 1957 ou por aí!

segunda-feira, julho 07, 2008 5:26:00 da tarde  
Anonymous FuckItAll said...

Podem fazer-se t-shirts com esta frase e com a cara de diversos líderes do PSD, como forma de encorajamento.

segunda-feira, julho 07, 2008 8:32:00 da tarde  
Blogger Nelson Peralta said...

fuckitall,

esse não me parece ser um grande incentivo :)

terça-feira, julho 08, 2008 12:52:00 da manhã  
Blogger João Dias said...

A ideologia homofóbica ancorou-se desesperadamente à teoria da procriação, porque, imagine-se, parece ser a mais racional que encontraram.

Há que ser claro, não há político que se possa auto-proclamar democrata sem reconhecer o direito ao casamento civil entre homossexuais.

Nenhum casamento celebrado prevê a procriação, no contrato matrimonial não diz que o casal receberá 1000 euros por rebento. Logo, Manuela Ferreira Leite não tem mesmo escapatória, os benefícios do matrimónio nada tem a ver com procriação, esses são posteriores e são, por exemplo, os descontos nos encargos com educação para agregados familiares.

terça-feira, julho 08, 2008 10:43:00 da tarde  
Blogger Didas said...

A seguir acho que deviam proibir o casamento a pessoal da idade da Manuela, que já não está em idade de procriar. Mainada!

terça-feira, julho 08, 2008 10:51:00 da tarde  
Blogger Xoné said...

Eu iria ainda mais longe proibiria as relações sexuais fora do período fértil.

quarta-feira, julho 09, 2008 10:14:00 da manhã  

Enviar um comentário

backlinks:

Criar uma hiperligação

<< Home