quarta-feira, abril 04, 2007

Mães de Bragança

A Comissão para a Igualdade entre Mulheres e Homens da CTGP-IN criticou hoje o Casino de Lisboa pela promoção do espectáculo «Crazy Horse» considerando a postura do Casino: «eticamente reprovável», «atentatória da dignidade das mulheres», e que promove «uma imagem publicitária onde, sugestivamente, se apela à utilização do corpo feminino como mero objecto de prazer mercantil».

E que sugere a CGTP? Não existindo coação, não tem o indivíduo o direito de usar o seu corpo como muito bem decide? Mas já que a CGTP se lembrou agora de pensar sobre o (não) direito ao corpo, o que nos diz sobre a defesa dos direitos laborais (e sociais) das profissionais do sexo em Portugal?

Etiquetas: , ,

0 Comments:

Enviar um comentário

backlinks:

Criar uma hiperligação

<< Home