quarta-feira, dezembro 23, 2009

Pode alguém ser quem não é?



O deputado municipal comunista votou favoravelmente o protocolo que ditou o fecho das piscinas. Sem piscinas não são necessários trabalhadores: foram alvo de despedimento colectivo, sendo que além da devida indemnização têm ainda direito ao pagamento dos salários que tinham em atraso.

Alguns meses se passaram e o deputado comunista suspendeu o mandato para assumir a liderança da associação desportiva. Passou a defender a possibilidade de uma sociedade anónima desportiva (sim uma sociedade por acções), e priorizou: a sua direcção pagou os salários dos jogadores profissionais de futebol (ou pelo menos parte), mas falhou o compromisso de pagamento dos salários e das indemnizações dos trabalhadores que foram despedidos.

Isto sim é insólito!

Etiquetas: , ,

9 Comments:

Blogger Carlos Martins said...

como é diferente o mundo da fantasia onde a vossa ideologia vagueia alegremente e o mundo real...

quinta-feira, dezembro 24, 2009 9:39:00 da manhã  
Anonymous Eduardo Ferreira said...

Caro Carlos Martins,

Há algum tempo que acompanho este blog, escusando-me freuqentemente a comentar...contudo tenho que dizer que alguns dos seus comentários me dão vontade de rir! Este é um deles...poderá dizer-me se haverá ideologia mais utópica que a do simpático senhor Adam Smith que concebeu a sociedade de mercado acreditando que a "livre concorrência" tenderia para o lucro zero, beneficiando a sociedade e que toda sociedade (tendo por base o indivíduo) seria movida pelo bem-estar da própria sociedade. Era um ideologista este senhor...mas na certa não conhecia as palavras cartelização, monopólio e especulação financeira! Acredito que ficaria tão chocado com a sociedade actual assente na teoria de mercado e no capital, como Marx ficaria chocado com os regimes de Estaline, Mao e tantos outros...utopias, fantasias e ideologias há de todos os lados.
Também não deixa de ser interessante que um "trader" que se move no "banco de investimento" esteja completamente alheado do que é a base do sistema monetário mundial...sugiro que leia alguma coisa acerca disso...pode aproveitar alguns dos conselhos do senhor Peralta! Deve saber concerteza que grande parte do dinheiro não tem existência física e que de cada vez que alguém paga juros...é criado dinheiro...não que alguém explique isto na escolinha...mas se perceber como funciona o mecanismo de endividamento, financiamento e etc e tal...vai ver que a banca (privada, pública ou a salgalhada mista) produzem sim dinheiro...e o mais engraçado é que raramente são os bancos que pagam o pato...mesmo quando há falências!

Com os melhores cumprimentos,

domingo, dezembro 27, 2009 10:43:00 da tarde  
Blogger Nelson Peralta said...

Eduardo,

e andas tu perdido na Amazónia quando o mundo precisa de ti :p

segunda-feira, dezembro 28, 2009 3:09:00 da manhã  
Blogger Carlos Martins said...

acredita mesmo que quando ha pagamento de juros há criaçao de moeda !? entao a nossa discussao acaba mesmo aqui !

segunda-feira, dezembro 28, 2009 8:48:00 da manhã  
Blogger Pedro Neves said...

Caro Peralta:
o deputado comunista a que te referes, ao tomar conta do SC Beira-Mar, fez mais por Aveiro do o senhor durante toda a sua vida! Meta isso na sua cabeça. Deixe o Beira-Mar em paz e nao misture o desporto com politica. Nós, aveirenses, agradecemos.
Bom ano novo!

segunda-feira, dezembro 28, 2009 12:19:00 da tarde  
Blogger Nelson Peralta said...

Pedro Neves,

depois de tudo o que se passou nos últimos 5 anos, eu e' que misturo política com desporto? De facto ha olhares bastante lúcidos...

segunda-feira, dezembro 28, 2009 12:48:00 da tarde  
Blogger Pedro Neves said...

Não, nos ultimos anos não tem sido o Nelson que tem misturado politica com desporto, mas neste caso está tb a fazê-lo.

segunda-feira, dezembro 28, 2009 1:01:00 da tarde  
Blogger Nelson Peralta said...

Pedro Neves,

Curioso. Todo o texto, aparte a última frase é apenas um relato de acontecimentos. Se considera que o texto mistura política e desporto, então é porque...

segunda-feira, dezembro 28, 2009 5:44:00 da tarde  
Anonymous Eduardo Ferreira said...

Caro Carlos Martins,

Por mim a conversa pode parar por aqui mesmo sim! Contudo faço a ressalva, se está a falar de moeda no sentido de emissão de moeda, de divisas, de algo palpável, físico, então concordo consigo! Contudo deve saber melhor que eu que grande parte do dinheiro que circula hoje em dia são números em computadores, não têm existência física, são apenas a representação das relações de crédito e débito entre as pessoas. Ora se não existe correlação directa entre taxas de juro sobre o empréstimo (que variam de banco para banco), inflação, impostos, etc etc...é óbvio que ao cobrar juros sobre um empréstimo numa base especulativa, assumindo que a dívida ao fim de x tempo deve ser incrementada do montante y (sendo este uma percentagem de x) então essa percentagem de x que é adicionada ao montante devido...é novo dinheiro, novo capital, só que em vez de ser emitido como dinheiro físico a partir de uma entidade responsável...ele apenas surge do aumento de uma dívida. Acho que não é assim tão difícil de entender...principalmente para alguém que se move no meio financeiro.

Cumprimentos,

Eduardo Ferreira



Olá Nelson,

Já não ando pela Amazónia :) dentro em breve regresso a esse lado!

sexta-feira, janeiro 01, 2010 4:43:00 da tarde  

Enviar um comentário

backlinks:

Criar uma hiperligação

<< Home