sábado, agosto 09, 2008

A estranha normalidade

O JMO considera que estas minhas críticas ao regime Chinês aproveitando a janela mediática aberta pelos Jogos Olímpicos é «abusar das coisas para fazer politiquice». De resto, o PCP está de acordo com o JMO, destacando a «normalidade» com que a China preparou os Jogos e desvalorizando as tentativas de «politização» dos mesmos.

Moral da história, o sr. João está a ver as corridas, não o incomodem e não estraguem a festa com criancinhas acorrentadas a máquinas de costura, com execuções públicas em estádios, com deportações forçadas para se construir pistas de tartan, com a censura, com os presos por delito de opinião, com os campos de concentração...

Esta história não é nova. A abstenção perante a politização do sistema vigente arroga-se como regra. É o conforto de quem considera os direitos humanos um pormenor, porque quer ver as corridas. É a cegueira de quem não vê que, do primeiro ao último dia, estes Jogos são uma encenação política, onde a China aproveita ao máximo para se afirmar como potência económica "aceitável". Tal qual os Jogos de 1936 na Alemanha nazi, com a agravante de que a China é já membro de pleno direito do clube das "democracias ocidentais".

Etiquetas: , ,

6 Comments:

Blogger JM said...

Há muita gente ofuscada com o "barulho das luzes", Nelson.
Nada a fazer, senão continuar a exprimir opiniões livres, como tens feito.

segunda-feira, agosto 11, 2008 6:02:00 da tarde  
Blogger Manga dalpaka said...

Ai é?!

segunda-feira, agosto 11, 2008 9:09:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

o JMO estava sobrio quando escreveu o texto?

quarta-feira, agosto 13, 2008 10:47:00 da manhã  
Blogger JMO said...

Caro Nelson Peralta,

Começo a achar um abuso. Solicito a retirada imediata do último comentário colocado por um anónimo, ou acredita que vou começar a perder a paciência.

quarta-feira, agosto 13, 2008 6:59:00 da tarde  
Blogger bagaco amarelo said...

nelson, concordo que os comentários anónimos não são a melhor forma de dizer as coisas... mas agradeço ao JMO que, quando estiver menos sóbrio e me encontrar no toca Aki, se porte bem e não se ponha a dar cachaços nos outros enquanto se tenta aguentar em pé em cima do balcão. neste caso assino, e o JMO até pode perder a paciência à vontade, porque pelo menos dez pessoas viram...

quarta-feira, agosto 13, 2008 7:33:00 da tarde  
Blogger JMO said...

Para tanta mediocridade, a indiferença é a melhor das respostas.

Ivar, a não separação entre os campos politico e pessoal e o nivel que usas, só demonstra quem és.

quinta-feira, agosto 14, 2008 3:01:00 da tarde  

Enviar um comentário

backlinks:

Criar uma hiperligação

<< Home