segunda-feira, março 02, 2009

Quem matou as BUGAs?

Milão, Fevereiro 2009 [foto Z.]

Milão tem um sistema interessante de aluguer de bicicletas. As bicicletas são de modelo único, mas de alta qualidade o que terá acarretado um maior investimento inicial, mas uma menor necessidade e custos de manutenção e avarias. Existem pontos de bicicletas distribuídos pela cidade. O pagamento é mensal ou anual (está em preparação um diurno) através de um cartão (ou código?) que também lhe permite levantar uma bicicleta (e um cadeado com chave) num dos pontos automáticos. Assim, é perfeitamente conhecido quem está usar determinada bicicleta em determinado momento. Julgo que as bicicletas só opderão estar 2 horas consecutivas fora de um parque.

Aveiro já teve um serviço gratuito de bicicletas que servia os cidadãos, fossem de Aveiro ou visitantes. Agora tem um sistema que serve os turistas. De um sistema onde as BUGAs se encontravam espalhadas pela cidade que servia as necessidades de mobilidade de todos, passou-se para um sistema onde se encontram BUGAs apenas num local ao qual tem que ser devolvidas, com funcionamento das 10h às 19h. Deixou de ser um sistema de mobilidade.

O Vereador Pedro Ferreira concorda com esta análise e há quase três anos anunciou o regresso ao modelo de BUGAs dispersas pela cidade, prevendo «novos parques que vamos instalar em diversos pontos da cidade», de forma a garantir «a maior mobilidade entre os espaços e a maior simplicidade na utilização por parte de quem visita a cidade». Até hoje...

Etiquetas: , , ,

3 Comments:

Blogger João Dias said...

O sistema de Barcelona parece-me semelhante ao de Milão, o utilizador está identificado porque precisa de um cartão/assinatura. Mas aquilo que denoto é principalmente a qualidade da rede (vias) e o facto de Barcelona ser altamente semaforizada o que permite que uma cidade altamente movimentada não tenha a inércia que tem o Porto, por exemplo. Não adianta ter bicicletas de utilização gratuita para depois não ter as condições ideais para o seu uso, é mais plausível andar de bicicleta em Barcelona do que em Aveiro...acho que isto diz muito do modelo de urbanização português.

Bicing

terça-feira, março 03, 2009 2:50:00 da manhã  
Blogger João Dias said...

P.S. A rede de Barcelona para bicicletas tem mais de 100 km para uma zona urbana de cerca de 12km de extensão.

terça-feira, março 03, 2009 3:02:00 da manhã  
Blogger cego said...

É triste ver a destruição do pouco que resta de Aveiro.
A cidade tem tudo para ser um exemplo, contudo ninguém age em beneficio da população.

quarta-feira, março 04, 2009 4:24:00 da tarde  

Enviar um comentário

backlinks:

Criar uma hiperligação

<< Home